Mais de 1 bi de barris: Primeiro poço de petróleo na Bacia de Sergipe-Alagoas será perfurado no próximo semestre

Notícias

Investimento das empresas responsáveis pelo feito ultrapassam a casa dos 145 milhões de dólares até 2022

Um dos campos de petróleo com maior perspectiva de produção do país está em alto mar na divisa entre Alagoas e Sergipe. Uma bacia petrolífera de potencial estimado em 1,2 bilhões de barris de petróleo que terá seu primeiro poço a ser perfurado no segundo semestre de 2021.

O diretor-presidente da Enauta, Décio Oddone, afirmou ontem (1/04), que a petroleira brasileira prevê junto com suas parceiras Exxon e Murphy Oil, a perfuração do primeiro poço de petóleo na Bacia de Sergipe-Alagoas no segundo semestre deste ano.

A petroleira brasileira Enauta detém 30% de participação em nove blocos em Sergipe-Alagoas, enquanto a operadora Exxon tem 50% e a Murphy Oil os 20% restantes.

“São ativos de alta prospectividade, estão próximos a descobertas relevantes já feitas na região. O licenciamento ambiental já foi protocolado pelo operador”, disse Oddone, ao participar de webcast com analistas e investidores de mercado sobre os resultados no quarto trimestre.

https://d-13878784103664883029.ampproject.net/2103240330002/frame.html

De acordo com o balanço financeiro da Enauta, os poços de petróleo encontram-se em região “de alto potencial exploratório e próximos a descobertas da ordem de 1,2 bilhão de barris”. O primeiro poço exploratório a ser perfurado na região será no prospecto Cutthroat, localizado no bloco SEAL–M-428.

A receita do quarto trimestre da Enauta apresentou queda de 53,8% ante um ano antes, para 186,9 milhões de reais, principalmente em função da redução da produção do campo de Atlanta e também com impacto do reflexo cambial dos contratos de arrendamento em moeda estrangeira.

Enauta prevê investimentos em exploração, desenvolvimento e produção de 40 milhões de dólares em 2021 e de 105 milhões de dólares para 2022, podendo variar 20% para cima ou para baixo.

Com informações de Click Petróleo e Gás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *