Condenado há 38 anos de prisão, miliciano do RJ pede transferência para presídio de Alagoas

Notícias

Luciano Guinâncio teria recebido proposta de emprego. No Rio, mesmo no regime semi-aberto, ele não pode deixar a cadeia

Condenado há 38 anos de prisão, e preso há 12, o miliciano Luciano Guinâncio Guimarães, filho do ex-vereador do Rio de Janeiro, Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, quer ser transferido do Rio para um presídio na cidade de Maceió, em Alagoas. O pedido foi feito por seu advogado à Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio em janeiro deste ano, sob o argumento de que Jerominho alugou uma casa e passou a morar na cidade turística com a família.

Luciano é ex-militar que foi expulso da corporação e condenado por praticar crimes relacionados a milícia carioca conhecida por Liga da Justiça. A milícia foi uma das mais perigosas que atuou no Rio Janeiro.

Em dos crimes ao qual está preso, Luciano Guinâncio Guimarães foi condenado a 17 anos de prisão por homicídio qualificado pela morte de Ilton do Nascimento, em abril de 2007, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Segundo a setençã, Ilton foi morto porque era dono de uma linha de vans na região onde os milicianos queriam assumir o controle sobre o transporte alternativo.

Na última semana, o Ministério Público estadual do Rio solicitou que a Justiça de Alagoas seja intimada para que informe se há vagas em seu sistema prisional. Ainda não houve decisão da VEP sobre o pedido de transferência.

Na solicitação de transferência, a defesa de Luciano anexou ainda uma proposta de emprego recebida pelo filho de Jerominho. “O apenado quer criar um novo futuro junto a sua família”, escreveu o advogado na petição.

Luciano cumpre pena em regime semiaberto no Rio desde 2019, mas a VEP não permitiu que ele saísse da cadeia. Os presos desse regime têm direito a deixar a cadeia para trabalhar ou visitar a família, mas os benefícios não são automáticos. Após obter a progressão de regime, é preciso solicitar as saídas.

Em junho do ano passado, o Tribunal de Justiça do Rio também negou pedido para que Luciano ficasse em prisão domiciliar em razão da Covid-19. Em sua decisão negando o pedido, o desembargador Francisco José de Asevedo, da 4ª Câmara Criminal, afirmou que a integridade física de Luciano estava mais resguardada dentro do presídio. O magistrado ainda ressaltou, na decisão, que o filho de Jerominho é considerado de periculosidade altíssima.

Luciano, que está preso desde setembro 2008, foi condenado a 38 anos e um mês de prisão por crimes como homicídio, extorsão e formação de quadrilha. Ele já cumpriu 12 anos e seis meses da pena e foi acusado de fazer parte do maior grupo paramilitar do estado, que era comandado por seu pai.

Jeorminho deixa a cadeia em 2018
Ex-vereador RJ Jerominho

O ex-vereador Jerominho foi solto em outubro de 2018, após ter passado 10 anos e quatro meses preso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *