Auxílio Emergencial: Bolsonaro assina 4 parcelas (de 150 a 375 reais) e deixa 22,6 milhões de fora

Brasil

Mp passa a valer a partir de hoje e impede adesão de novos benefícios

Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira a Medida Provisória que cria o novo auxílio emergencial. O valor será destinado para trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família. O auxílio emergencial 2021 será pago a partir de abril, em quatro parcelas, com valores de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, dependendo da família.

Pelos cáuculos, o novo auxilio vai beneficiar 45,6 milhões de pessoas, 22,6 milhões a menos do que no auxílio emergencial de R$ 600, pago em meados do ano passado (68,2 milhões de pessoas).

Só vai receber o novo auxílio quem já recebeu no ano passado e, portanto, já está inscrito nos cadastros públicos usados para a análise dos pedidos. Quem não faz parte dos cadastros não receberá o benefício, visto que não haverá novos pedidos.

Qual será o valor do benefício?

O valor do auxílio dependerá da condição de cada benefício: Para quem mora sozinho: R$ 150 Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250 Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375

Quem poderá receber?

É preciso atender uma série de critérios para receber o novo auxílio:

ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família

ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300)

ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

ter recebido o auxílio emergencial em 2020.

Quem não poderá receber?

Não têm direito, segundo o governo:

trabalhadores formais, com carteira assinada

quem recebe benefício do INSS ou de programa de transferência de renda federal

quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem usou o dinheiro

quem estiver com auxílio emergencial 2020 cancelado no momento da análise cadastral do novo auxílio

residentes médicos,

multiprofissionais,

beneficiários de bolsas de estudo,

estagiários e similares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *