Suspeito na morte de empresário é preso e reforça que filho mandou matar o pai por R$ 5mil

Notícias

Outro suspeito foi preso e confessou tudo a polícia. Caso já está elucidado

Mais um suspeito na morte do empresário José Nilton Bonifácio, de 58 anos, conhecido como ‘Gordo’, foi preso durante uma operação conjunta entre as polícias Militar e Civil. Rafael Alexandre de Melo, de 27 anos, confessou o crime e disse que Leandro Bonifácio o havia contratado por R$ 5mil para matar o pai. O suspeito foi detido após uma troca de tiros com a polícia que flagrou ele e outros indivíduos conduzindo uma boiada que havia sido roubada em Pernambuco. Na ação, um dos criminosos que transportavam a boiada morreu baleado.

Rafael Alexandre, também confessou a participação em outro homicídio no município de Novo Lino no mesmo dia, 1º de fevereiro. Em depoimento, ele reforçou que Leandro Bonifácio contratou ele e outros indivíduos para matar o pai, o empresário conhecido como ‘Gordo’. O filho ofereceu a quantia de R$ 5 mil, que segundo o suspeito, não foi paga.

Leandro foi preso pela suspeita de ter mandado matar o pai ainda durante o velório da vítima. A família, que vivia o luto, acompanhou a ação policial, que revelou a participação do filho na morte do pai, em choque.

Segundo a polícia, Rafael foi preso após informações serem repassadas ao Serviço de Inteligência da Polícia apontando que haviam quatro indivíduos conduzindo uma boiada roubada com 16 animais. Os suspeitos transportavam o gado que havia sido roubado em Barreiros, em Pernambuco, até o município de Campestre, no interior de Alagoas.

Segundo os militares, no momento da abordagem, os suspeitos, receberam a polícia com disparos de arma de fogo. Três suspeitos fugiram por um canavial, e um deles teria sido atingido por um disparo de arma de fogo, não resistindo aos ferimentos. Ele estava portando uma pistola.

Com Rafael, a polícia apreendeu uma quantidade de maconha e um revólver calibre 38, que, segundo ele, foi utilizado nos homicídios do dia 1º de fevereiro.

O CRIME

o empresário José Nilton Bonifácio, de 58 anos, foi morto no dia 1º de fevereiro. Segundo o filho, Leandro Bonifácio, o pai teria sido morto em um assalto, após descer do veículo e os criminosos se assustarem com as muletas utilizadas pela vítima. Porém, documentos de Leandro foram encontrados no carro utilizado no suposto assalto e ele foi preso ainda durante o velório do pai.

Segundo a polícia, Leandro, teria confessado que contratou o grupo para realizar um assalto ao pai, evitando que a vítima descobrisse que ele havia vendido um carro dado de presente. Mas os detidos pelo homicídio apontaram que, na verdade, foram contratados pelo filho para matar o pai.

teria decidido simular um assalto ao pai a fim de dar um “susto”, uma vez que ele desconfiava que o filho teria vendido um carro dado de presente a Leandro. No momento do crime, José Nildo puxou uma muleta de dentro do veículo, o que fez com que os supostos assaltantes reagissem ao movimento, efetuando disparos contra a vítima.

Após a constatação do crime, a Polícia Militar localizou o veículo utilizado na tentativa de assalto e, dentro dele, um documento de habilitação pertencente a Leandro. Em um primeiro momento, o suspeito teria dito à polícia que o documento foi deixado no carro pelos assaltantes, de forma proposital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *