Arapiraca: Polícia Civil esclarece morte de empresário; Veja os indiciados

Cidades

Segundo a polícia, Fabiano Ramalho foi morto a mando de outro empresário que atua no mesmo ramo

Fabiano Ramalho – morto no último dia 13

A Polícia Civil de Alagoas esclareceu o crime que vitimou o empresário Fabiano Correia Ramalho, num espetinho na cidade de Arapiraca. As investigações foram conduzidas pelo Delegado Felipe Caldas e culminaram em prisões dos suspeitos de autoria material e intelectual do crime. Para os investigadores, não há dúvidas que o crime foi completamente elucidado. O Jornalismo do Na Rede conseguiu com exclusividade fotos da mulher envolvida com o caso e do suspeito de autoria intelectual do crime.

O empresário Fabiano Ramalho Correia foi morto a tiros na noite do dia 13 de janeiro em um churrasquinho localizado no bairro Zélia Barbosa, em Arapiraca.

Segundo testemunhas, a vítima chegou ao local acompanhado de uma mulher e logo fizeram um pedido ao garçom. 

No momento em que o garçom levava o pedido, dois homens em uma motocicleta de cor preta se aproximaram, o garupa desceu do veículo e efetuou os disparos de arma de fogo.

Mesmo baleado o empresário conseguiu fugir por alguns metros, quando voltou a ser abordado e sofreu golpes de coronhadas. A vítima morreu antes mesmo de receber atendimento médico. Imagens do circuito de segurança registraram o crime e ajudaram nas investigações. Num dos trechos revelados pela polícia, é possível ver um dos suspeitos se aproximando da vítima já caída por trás de um veículo e dando coronhadas.

imagens cedidas pela Polícia – fato acontece no centro do vídeo

A mecânica do crime ajudou nas investigações. Os bandidos só deixaram o local quando se certificaram que a vítima já estava sem vida. E isso é característica de crime de execução por encomenda.

Foi nessa linha que as investigações da polícia civil começaram. O celular da vitima conseguiu ser desbloqueado e as conversas entre o empresário e a mulher que o acompanhava no momento do fato elevaram as suspeitas sobre uma possível participação dela no crime.

Segundo as investigações a mulher usou um perfil falso e adicionou o empresário numa rede social dois dias antes do crime.

“A todo momento, nos diálogos, a mulher tentou atrair o empresário para a cidade. Ela queria saber com antecedência, quando ele estaria em Arapiraca” disse um dos investigadores.

Segundo trechos de depoimentos de testemunhas, Fabiano estava trabalhando em uma de suas lojas em Arapiraca quando recebeu uma série de mensagens pelo celular. Ele saiu do local onde estava e prometeu voltar logo.

Fabiano se encontrou com a mulher e minutos depois que sentou no churrasquinho foi abordado pelos executores.

Após o crime, a polícia descobriu que o perfil da mulher havia sido apagado da rede social. Mesmo assim ela foi identificada. Seria Éricka Iolanda Lima Barros.


A polícia também identificou os executores com ajuda de imagens do circuito de segurança.

Tratam-se de José Aldo da Conceição da Silva e Allan Gomes da Silva. Ambos com passagens pela polícia.

José Aldo da Conceição da Silva já havia sido preso, também em Arapiraca em 16 de setembro de 2018. Ele foi abordado na Rua Minervina Francisco da Conceição, Novo Horizonte, e preso em flagrante por tráfico com 53 pedrinhas de maconha e R$ 425,00.

Já Allan Gomes da Silva respondeu a processo por tentativa de furto em 2016. Respondeu em liberdade e quando julgado em 2018 teve a pena extinta pela justiça.

Segundo a polícia, os dois aparecem nas imagens executando o empresário.

Mandante

A polícia civil ainda não divulgou oficialmente os motivos da execução. Mas conseguiu provas suficientes que os dois pistoleiros foram supostamente contratados por Jeremias Apolinário Leite.

Jeremias no momento de sua prisão


Jeremias foi preso na semana passada numa operação policial. Ele foi proprietário de empresas do mesmo ramo de atividade de Fabiano. Segundo dados da receita a empresa já foi baixada.

Segundo a polícia, Jeremias já havia encomendado a morte de Fabiano em 2019. O empresário escapou com vida de uma emboscada que aconteceu na porta de sua casa também em Arapiraca.

Na época os pistoleiros erraram os tiros e Fabiano escapou. Dias depois, ele teria sido avisado por um homem que revelou ter sido procurado por Jeremias que teria oferecido R$ 10 mil para que Fabiano fosse assassinado.
Na época, Fabiano e Jeremias eram amigos e mantinham relações comerciais.

Para a família do empresário morto, Fabiano foi executado pelo sucesso de seus negócios enquanto o ex-amigo entrou em falência.

Fabiano Correria Ramalho era proprietário de uma das mais bem sucedidas empresas do ramo de fotografia do Nordeste e se preparava para avançar ainda mais no mercado inaugurando mais lojas em outras cidades do Nordeste.

O inquérito deve ser concluído nos próximos dias e remetido ao Ministério Público. Os suspeitos estão presos. Até o fechamento dessa reportagem, o jornalismo Na Rede não conseguiu contato com parentes dos acusados. O espaço para que eles se pronunciem está aberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *