MPT vai investigar acidente com vazamento de amônia em frigorífico

Últimas

Cinco funcionários teriam se intoxicado e necessitaram de atendimento médico

O Ministério Público do Trabalho abriu procedimento para investigar um acidente que resultou no vazamento de amônia e na intoxicação de funcionários de um frigorífico no MS. A industria fica localizada em São Gabriel do Oeste – cidade a 140 km da capital Campo Grande.

O vazamento ocorreu na manhã da última terça-feira (26). Cinco funcionários tiveram que ser levados para atendimento no Hospital Municipal. Todos teriam inalado altas doses da substância no frigorífico da empresa Aurora na cidade.

De acordo com informações divulgadas pelo site Idest, o vazamento foi contido pela equipe de engenharia do próprio frigorífico. O Corpo de Bombeiros chegou ao local apenas para realizar uma vistoria que é o procedimento obrigatório no Estado.

Em nota, o frigorífico confirmou o acidente e informou que o mesmo ocorreu em um rápido escapamento de amônia durante serviço de manutenção. O documento diz ainda que os funcionários foram devidamente atendidos, tendo alta hospitalar no mesmo dia.

O MPT pediu que em 10 dias a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Mato Grosso do Sul inicie uma fiscalização no local ou envie relatório do trabalho realizado na unidade caso essa fiscalização já tenha ocorrido.
Também foi pedido ao Corpo de Bombeiros de São Gabriel do Oeste cópia do registro da ocorrência e demais dados confeccionados sobre o vazamento.

A estimativa do órgão é que os documentos estejam com o procurador responsável até a próxima semana e o caso seja analisado em no máximo 30 dias.

2 thoughts on “MPT vai investigar acidente com vazamento de amônia em frigorífico

  1. Fantastic Info! But Im having some trouble trying to load your blog. I have read it numerous times before and in no way gotten a thing like this, but now when I try to load a thing it just takes a bit while (5-10 minutes ) after which just stops. I hope i don???¨º?¨¨t have spyware or a thing. Does anyone know what the difficulty might be?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *